A Reencarnação (vídeo)

Passei a entender a reencarnação como algo real quando tinha 18 anos. Eu vinha de uma família católica que acreditava num apocalipse onde as pessoas seriam julgadas. Como diz no livro de João: os mortos se levantariam das tumbas e o mar vomitaria os cadáveres que compareceriam diante do trono para serem julgados junto com os vivos. Apesar da imagem aterrorizante ter me assustado por um bom tempo, cheguei a conclusão que ela não fazia sentido para mim. Hoje entendo que o espiritual fala por metáforas e símbolos, é preciso saber interpretar, na maior parte das vezes… Nada é dito assim tal e qual.

Para mim fazia mais sentido que os sonhos que eu tinha quando criança falavam de experiências além desta vida. Às vezes elas eram lembranças. Além disso, eu entendia que os questionamentos que tinha quando criança sobre mim e o mundo faziam parte de um fluxo que vinha de antes dessa vida e que seguiriam mesmo depois que eu morresse.

No decorrer do caminho espiritual também tive a oportunidade de ver e sentir espíritos, o que leva qualquer tese de uma única vida por água abaixo. Ou você cede ou se interna numa instituição psiquiátrica. E apesar de ser uma pessoa bastante cética nesse início do meu caminho, fui percebendo que existia uma outra realidade além da realidade física. E essa outra realidade, a realidade espiritual, era tão concreta como a que me cercava e eu conseguia tocar com as mãos.

Eu percebia também que o fato de alguns se perguntarem e estarem inquietos sobre o porquê da presença no mundo, enquanto outras pessoas não pensavam sobre isso, também demonstrava essa assimetria de autoconsciência e perspectiva.

Na Bíblia diz que colhemos o que plantamos. E às vezes parece que alguns recebem um quinhão maior que outros. Se todos recebemos igual, porque ao olhar o redor só vejo desequilíbrio. Sem entrar no mérito desse juízo, mas apenas olhando para o senso comum, entendi, quando reconheci a reencarnação como algo real, que esse desequilíbrio era só aparente, e a Justiça só poderia ser mensurada numa linha de tempo bem maior, para entender o caminho de aprendizado e descoberta de cada alma.

Para mim outro argumento que confirma a reencarnação são os laços de afinidade e de desprezo, quase gratuitos que algumas pessoas despertam em nós. Eles também podem ser explicados como encontros onde são ressaltados os prazeres dos reencontros, ou a necessidade de corrigir alguma coisa. Quem nunca encontrou uma pessoa e sentiu uma afinidade imediata? Ou olhou nos olhos de alguém e sentiu já conhecer, e percebeu vir a tona os mais variados sentimentos, desde medo a atração. Não digo que é sempre um encontro de vidas passadas, às vezes a química explica isso, mas essa é uma possibilidade.

Eu pensava ser injusto pensar que algumas pessoas não conseguiriam entender o amor, nem se sentiriam acolhidas pelo Criador, não perceberiam a beleza da vida a tempo, e morreriam sem chegar a iluminação e sem outra chance. Penso na benevolência do Criador para com todos os seres, uma bondade que concede inúmeras oportunidades para que possamos amadurecer e desabrochar.

Acho que posso ir pensando em mais argumentos, mas a grande maioria deles está apoiada nos conceitos de Justiça e Misericórdia divina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: