A prova da ambição e do caráter

A Terra se orgulha ao ver que consegue erguer uma parede, construir uma casa, adquirir um carro, fazer uma viagem ou comer num bom restaurante. Ela se enobrece por poder dirigir seus pares na construção. Ela quer reunir os elementos e dar o acabamento. A terra quer ver a obra em pé e para isto vai discriminar, criticar, buscar com afinco a perfeição. Até aí tudo bem.

2018, um ano de consciência

Um ano de consciência para todos nós. Consciência de quem nós somos e o que carregamos dentro de nós. Que possamos entender que nem sempre é fácil mudar uma qualidade negativa, um hábito. Transcender um medo, entender alguma coisa. Ao perceber nossas próprias limitações e dificuldades podemos entender melhor o processo e as dificuldades do outro.

O que valeu a pena?

Às vezes lutamos guerras infrutíferas. Empreendemos batalhas que seriam melhor não termos participado. É importante entender isso. Faz parte do amadurecimento da consciência chegar a essa conclusão.

A ação reparadora a partir da culpa

Uma moça está conversando com uma rapaz sobre amenidades. Ela pergunta se ele namoraria com ela. Não, ele diz. Por quê?, ela quer saber. Porque eu acho você feia, o jovem diz. Ela fica calada, apenas os olhos transparecem o choque, o rosto não. Ela se retira.

A união entre a Alma e o EU

Em muitas histórias mitológicas, e também nos contos de fadas, a donzela, invariavelmente, se encontra prisioneira de um monstro terrível. Muitas vezes, esse monstro é um dragão - numa representação do ego e dos instintos selvagens de posse, agressividade, defesa e necessidades básicas de subsistência.

A andorinha anuncia a chegada da Alma

"Uma andorinha só não faz verão", o ditado nos informa que as andorinhas anunciam o verão e que não adianta a chegada de uma isolada, é preciso que muitas tragam consigo o sol. No meu caminho espiritual também já ouvi que uma andorinha só não apaga o fogo na floresta. Ainda que ela saiba que deve fazer sua parte levando a água sobre as asas, enquanto o elefante brinca distraído no rio...

Blog no WordPress.com.

Acima ↑