Em busca de uma relação mais verdadeira

Chegamos ao Cinco de Copas. Imagine que a traição já aconteceu. Agora estamos destroçados ao sermos descobertos ou ao descobrir o que o outro fez. Mas ainda há esperanças. Evidentemente, se descobrimos que realmente amamos a outra pessoa.

Também podemos decidir que nós somos indignos, não prestamos para nos relacionar com ninguém e estamos fadados a destruir qualquer coisa que começamos por um incontrolável desejo, um medo, uma desconfiança, uma síndrome de perseguição ou de não merecimento.

Podemos acreditar que é o outro que não presta. Que a outra pessoa não consegue frear seus próprios instintos em prol de uma relação, ou por consideração a quem ela diz que ama. Podemos acreditar que as pessoas (sejam homens ou mulheres) são assim. Não dá para confiar em ninguém.

Há outra opção. Podemos acreditar que os eventos, qualquer evento, e principalmente um ligado a relacionamentos, acontece para que seja feito um mergulho interior, dando a oportunidade para que seja construída uma ligação mais profunda entre as duas partes.

O arcano Cinco de Copas explica que de uma situação de traição, seja essa traição um affair ocasional fora da relação, a traição de algum outro acordo, como quando alguém diz, antes de começar o relacionamento : “Não tente me conhecer. Eu não vou lhe dar mais, se quiser se relacionar é assim ou nada. Não queira mudar como eu sou”. A quebra desses acordos iniciais será inevitável para o aprofundamento da relação. E isso também pode ser visto como uma traição. Uma traição que leva a um conflito e a exteriorização do que as partes sentem uma pela outra de verdade e o que estão dispostas a abrir mão para aprofundar o laço que está sendo construído.

O evento pode levar a relação para um novo patamar, com muito mais verdade, honestidade e  lealdade entre as duas partes. Onde os acordos poderão ser revistos periodicamente, ou onde cada parte permitirá que a outra tenha acesso a aspectos da personalidade, do passado, das lembranças, dos receios e medos, mais íntimos.

Isso não significa que a situação resolverá de vez as carências e dificuldades de relacionamento, e não haverá mais conflitos futuros. Mas a atribulação fortalecerá o vínculo e a cumplicidade.

Desta forma, a traição é uma oportunidade, mas depende de nós caminhar em direção ao mergulho interior e permitir que o outro se aproxime e nos conheça mais… Por isso, faça com que qualquer ato de traição, em qualquer tipo de relação, seja uma oportunidade de amadurecimento. Da relação e de você mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: