Não se abandone à própria sorte

Algumas pessoas vivem uma negação tão poderosa contra a matéria que se recusam, terminantemente, fazer parte. Elas se alijam do processo. São contra o sistema, capitalista ou socialista, as relações humanas com suas etiquetas e educação, que consideram artificialidades… São pessoas indignadas com a injustiça e a mentira.

Elas se negam a participar do “jogo”. Assim, muitas vezes vão ao extremo e negam o sentido da própria vida.

Para ilustrar…

Conheci um rapaz que ele tinha sérios problemas familiares, não conseguia ser aceito, e como acreditou que não tinha opção, resolveu viver na rua. Passou quase 30 anos vivendo assim, até que resolveu, após esses 30 anos, e teve a oportunidade, de reestabelecer uma estrutura mais convencional para a sua vida.

Independente das motivações de cada um de nós para buscar situações limites, estamos falando do abandono como solução. Da negação social como solução. Não nego que esse possa ser um caminho e uma opção para alguns, mas será sempre com um duro trajeto a ser trilhado e um alto preço a ser pago.

O abandono é como um período de sono e escuridão, como se buscássemos uma câmara criogênica esperando por dias melhores no futuro. A questão é que podemos passar anos nesse sono.

O abandono pode acontecer com a saída literal da vida social, ou de uma forma menos dramática, vivido numa vida automática, simplesmente, porque consideramos que não conseguiremos alcançar o que almejamos ou o mundo jamais será tão ideal quanto gostaríamos.

Uma coisa que aprendi na minha busca espiritual é não negar o seu dom ao mundo, se você acha que pode fazer melhor ou pode contribuir, faça, contribua. Mas tenha paciência no processo, as coisas não se resolvem rápido e nem acabará ficando da forma que você deseja. Mas a contribuição SEMPRE é válida.

Há uma outra questão no abandono que tem a ver com o cansaço. Li recentemente uma frase atribuída a Chico Xavier, mas não sei de fato a origem. A frase diz muito sobre o abandono do cansaço: “Se você cansar, aprenda a descansar, não a desistir“.

A imagem do post é de um sem teto, entendo que existam questões sociais que levem famílias para a rua, mas acredito que é importante olhar as questões espirituais e Psíquicas. Isso não muda o fato de buscarmos um olhar compassivo para todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: