Os maiores apegos são emocionais

O apego talvez seja um dos maiores desafios no nosso caminho de transformação e acesso a uma consciência mais elevada. Os maiores apegos estão relacionados com emoções. E as emoções estão refletidas, muitas vezes, em formas de agir, hábitos e crenças.

O apego pode funcionar como uma verdadeira prisão que impede a liberdade. O apego pode estar presente no trabalho, numa função, numa forma da personalidade. Podemos estar tão apegados a uma forma de como as coisas devem acontecer que não conseguimos vislumbrar outras saídas e somos tomados de medo por não ver “a forma” esperada acontecer.

Num exemplo simples, numa relação de trabalho, isso pode significar que sentimos que não somos incluídos, nem considerados, até bem-vindos, tudo por um apego a um hábito, que para nós significa uma espécie de ambiente confortável e seguro. E às vezes esse “ambiente confortável” pode desaparecer apenas porque o outro não deu um bom dia. Podemos pensar: há algo errado, porque não recebi o meu bom dia? Isso pode ser um apego a como as coisas devem acontecer, além de inseguranças afetivas. Claro que podem existir neste evento outros aspectos mais da personalidade…

Mas voltando ao apego… Podemos estar apegados a um orgulho, por exemplo, e não suportarmos a ideia do outro chamar nossa atenção, ou terminar a relação. Esse tipo de sentimento (o apego ao orgulho) pode levar uma pessoa ao extremo de destruir a si mesma, só para incutir no outro um sentimento de culpa.

Ainda podemos nos apegar a uma relação afetiva ao ponto de colocamos toda a nossa segurança nela e acreditar que sem ela não teremos futuro.

Podemos ser apegados a uma forma altiva e cheia de protocolos e etiquetas, mas essa forma acaba por nos afastar de uma convivência mais autêntica. Contudo, estamos tão apegados a forma que, simplesmente, não sabemos nem conseguimos ser diferentes.

O apego pode surgir também em pessoas que se recusam a fazer algo se não se identificarem com o que têm que fazer. Mas, afinal, vamos conseguir nos identificar com tudo? Quem se identifica com pagar as contas? Mas é preciso, e, às vezes, para pagá-las, vamos fazer algo que não sentimos identificação.

Há muitos aspectos sobre o apego que funcionam como travas do nosso desenvolvimento. Mas o mais importante é entender que a evolução pede a liberdade, e a liberdade cobra de nós atitudes responsáveis frente a nossa consciência. E cada passo à frente significa deixar para traz, de certa forma, a paisagem que já foi vivida. Até que um dia deixaremos também a “túnica de pele”, as pessoas do nosso convívio, o mundo físico e até nossa personalidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: